Noticias



MULTITEL investe quatro milhões USD em 8 novos serviços

Novos serviços alavancam valor da empresa no processo de privatização em bolsa

A Multitel coloca a disposição do mercado nove serviços nomeadamente Infraestrutura de Rede, data Center e Cloud, Consultoria e Formação onJob, Voz IP, Cyber Segurança, Web, Automação e Segurança Electrónica e Software. Para o efeito desembolsou quatro milhões USD (mais de 2,5 mil milhões kz).

De acordo com o director-geral da Multitel, António Geirinhas, a implementação dos serviços resulta da estratégia de reposicionamento da empresa face a concorrência no segmento corporate onde actuam de forma exclusiva. Segundo assume, a firma é provedora líder para a banca, instituições publicas, bem como para o sector de Oil & Gas.

“Então desde que aparece a concorrência surgem mais processos de inovação e desenvolvimento, este projecto é o reposicionamento da Multitel para que a comunicação e diferenciação aconteça” realça. Revela ainda que os serviços agregam market Value à empresa que em breve será privatizada em bolsa. Neste capítulo, apesar de não avançar a data de conclusão, esclarece que o processo decorre em bom termo sob o olhar do IGAPE .

 

“Com estes novos serviços, aproveitamos aquilo que já somos no mercado de telecomunicações e evoluir, imagina um triângulo que só tinha as telecomunicações, agora passa a ter três lados, adicionando as tecnologias de informação, e o lado dos sistemas de informação”.

Considera que desde a gene a Multitel se revela diferente pois enquanto “Multitel As A Service (MAAS), incorporava no ADN da empresa a integração de serviços com foco no cliente corporate, facto que se mantém 21 anos depois

“No ponto de vista da empresa estes serviços lançados devem se tornar na base da empresa para os próximos tempos, a empresa tem capacidade de criar um projecto desde o começo até a manutenção end to end” assevera.

Quanto ao momento em que a aposta nos serviços ocorre, António Geirinhas defende que a crise não é nova e o sector da telecom é resiliente razão pela qual a Multitel continua a investir.

“Lembro que nos anos de 2007- 8 havia muitas dificuldades nas telecomunicações em Angola, e que com o surgimento destas novas empresas e da concorrência gerou uma optimização dos serviços oferecidos e dos preços, por isso nos últimos 4 ou 5 anos por causa dos esforços destas empresas nas telecomunicações houve um grande avanço no sector”.

 

Empregabilidade Juvenil

Para o director geral as telecomunicações, tal como outros sectores considerados estratégicos não fecharam durante aos estados de calamidade e de emergência, algumas vezes a 100% outras a 75% e 50% conforme o Estado decidia.

O gestor acrescenta que a empresa tem contratos oficialmente com 100 funcionários directos, mas por causa da sua cobertura nacional a empresa optou por não multiplicar a empresa por várias cidades, a compania temuma filial em Benguela que responde pela zona sul do País em termos de assistência e Luanda responde pelo norte, e foi isso que ficou acordado com Estado, pois indirectamente tem 90% da empresa”.

 

Fonte: Jornal Mercado



Voltar